> O medíocre Tomb Raider: The Angel of Darkness - Rei dos Games!

terça-feira, 11 de maio de 2021

O medíocre Tomb Raider: The Angel of Darkness


Para quem acessa o blog a algum tempo, soube através das minhas postagens que Tomb Raider é uma das minhas paixões. Tanto que comprei quase todos os jogos até o momento e fiz análise de muitos deles. E por amar a personagem Lara (que para mim, é a MELHOR PERSONAGEM FEMININO DOS GAMES DE TODOS OS TEMPOS!) é mais que uma obrigação em ter tais jogos em minha conta. A análise deste jogo é na versão Gog, mas tenho certeza que não terá nenhuma diferença em relação a Steam.

 

The Angel of Darkness é um jogo bem diferente do que estávamos acostumados. Continuação direta de Tomb Raider Crhonicles (acredito eu, pois ainda não tenho este jogo e não sei do que se trata) Lara cita algo que aconteceu em um jogo anterior (o que me faz entender que este game é canônico) e presencia um assassinato - tendo que fugir da polícia de Paris (local onde acontece toda a trama) e inicialmente, se envolve em locais urbanos. Nada de ruínas ou templos antigos! O negócio é falar com vários personagens que você encontra pelo caminho para saber quem matou seu amigo e se livrar de vez. Não vou entrar com spoilers da trama mas entenda que Lara anda por Paris em busca de informações e nesses ambientes que ela usa suas habilidades de parkour.

O jogo apresenta melhorias gráficas melhoradas e usando sua dublagem e tradução (veja essa postagem como você faz para inserir a mesma no seu jogo), você entende 100% das coisas. Mas não é um jogo perfeito! Para começar, certos locais que você faria algo que qualquer jogador de Tomb Raider faria (como no caso, empurrar uma caixa) podem ser proibidas de você não aprendeu "aumentar a sua força" que é no caso, arrombar uma porta ou realizar tal evento que o jogo pede. Mal tinha começado a jogar e lá fui entrar no youtube para ver como fugia da polícia no prédio e não conseguindo mover a caixa que me dava a saída, eu tinha que voltar e abrir uma porta que nem me tinha dado conta.

 

A cidade de Paris não é tão grande assim - ela é do tamanho suficiente para você decorar suas localizações. Temos dinheiro que podemos achar fazendo aposta em boxeadores dentro da igreja (??) e  vender itens na loja de penhores. Certas coisas exigem que o jogador explore até demais para entender e sua jogabilidade é bem travada no início mas depois que você acostuma, leva de boas. Acho que a coisa mais irritante deste jogo, é quando você entra numa sala e tudo fica preto - aparecendo só a Lara. O pior é quando você carrega um jogo e ele vem assim - não é o save que foi corrompido, mas sim, o jogo que não carrega o cenário.

De quebra, funciona como os outros Tomb Raider's, só que com gráficos bem agradáveis. Ele é bem divertido quando você entende a história e nos trás uma inovação que ao conversar com NPCs importantes da trama, dar a opção para o que a Lara vai dizer - e fica melhor ao por a dublagem em nosso idioma - que combina com todos os personagens e por se tratar de Paris, os franceses possuem tal sotaque característico.

 

Para quem sentir falta da exploração de tumbas e ruínas, perto do final do game - temos sim, uma tumba antiga aonde nossa heroína irar explorar e podemos ver uma evolução no gráfico e também na velha jogabilidade (não é tanta, mas quem joga os games clássicos pode perceber). De quebra, é um jogo sim, bem interessante - mas teve alguns momentos em que não tive paciência. Acredito que a parte que me fez ficar sentado no pc por horas foi justamente, quando ela começou a explorar a tumba - afinal, tentar criar um jogo com tal título e não ter uma tumba para explorar, não seria Tomb Raider.

Mas uma parte eu tenho que criticar: o sistema de nadar. Na boa, a mecânica é simples - mas o que eles fizeram tornam tudo complicado. As vezes a Lara sobe muito levando a câmera consigo e a mesma impede da gente voltar. Nos forçando a dar Load no jogo ou simplesmente, se irritar tentando virar a personagem. O fato de você usar o botão direito do MOUSE ao mesmo tempo em que usa para virar a câmera, com certeza não foi uma boa ideia. (Mas por que diabos você não usa o espaço? Alguém pode me fazer essa pergunta - e respondendo desde já: o espaço é para você sacar ou guardar a arma!)

Mesmo usando teclado e mouse, você não tem controle da câmera. O que pode ser bem desagradável quando você precisa saber onde tem que chegar. Houve um desafio que envolve um fantasma que eu chiei pra caramba (vendo no youtube inclusive como evitá-lo, e para minha alegria, ficar abaixado o impede de ser pego por ele  - diferente de tentar esquivar-se saltando, como estava fazendo). Para passar dessa desgraça, você precisa ficar atirando com a escopeta que nem um retardado ao ponto de se aproximar de uma das estátuas (aquela que estiver brilhando) e num momento em que o fantasma ficar parado após receber muito chumbo, você tem que tirar a arma para assim sim, por o item - sendo que tem que ficar abaixado logo após isso porque vai levar porrada.

 

De todos os Tomb Raider que eu joguei, este foi o que eu levei mais tempo para trazer uma análise. Tudo porque ele costuma ser complicado em certas situações. Algo que tenho que reclamar, é sobre os "lasers" das armadilhas aqui - que me fizeram perder tempo e poderia ser melhor explorado (principalmente por ser um jogo "menos tumba, mas ação"). Por isso que percebi que aproveitaram várias ideias para o Tomb Raider Legend, o primeiro da franquia que finalizei e resenhei aqui no blog. Mas diferente de seu sucessor, é muito fácil matar os inimigos se ficar atirando parado que nem louco (uma vez que as balas acertam todos que a Lara estiver olhando... como se ela tivesse aimbot!)

Um elogio que tenho que fazer é sobre o tamanho do jogo: ele é enorme! Há muitas fases e em diferentes tipos, mas infelizmente - a maioria delas não envolve exploração de tumbas. Focando mais a heroína contra criminosos do que criaturas grotescas ou animais furiosos (não que isso não tenha no jogo também). Perto do fim do game, o jogador vai poder controlar outro personagem - mas não vou explicar o porque. O fato de estar dublado em nosso idioma (veja aqui como instalar se desconhece) é um atrativo.

 

Infelizmente, a jogabilidade travada (cujo se aprende com o tempo) entra em conflito com as armadilhas do próprio game - projetadas para uma jogabilidade totalmente diferente. Sem falar haverá uma situação onde o PERSONAGEM SECUNDÁRIO terá que enfrentar um chefe com uma pistola, sendo que não há munição disponível além de um sistema de combate que não serve para o que foi colocado. Por sorte, uma pessoa fez uma série de detonados na internet ajudando sobre o jogo (o qual, me ajudou pra cacete) e dispôs um vídeo só para falar como lutar com o tal boss... veja abaixo:

Mas, como o jogo é uma porcaria, recebeu uma análise sem eu tê-lo fechado. Parei neste chefe ridículo e por causa dele, não recomendo o jogo. Talvez um dia eu tente tudo de novo, ou tente racionar minha munição. Porque após checar o que o detonado acima fez, dá certo sim e cheguei a dar bastante dano no monstro. Só que estou furioso por perder mais de 20 horas nessa bagaça para chegar até aqui, e ver que foi tudo em vão. Afinal, não posso vencer o chefe porque não tenho munição suficiente (ou seja, eu teria que racionar com o personagem SECUNDÁRIO já pensando que iria usá-lo contra um chefe - como é que eu saberia disso?).

 

Namoral... quem é que enfrenta um bicho desse com uma pistola? Agora eu entendo o porque o jogo ser uma bosta. Ele inicia de um jeito e no fim, põe um chefe sem sentindo algum, contra um personagem secundário na qual, não oferece munição. Se acabar suas balas, acabou o jogo... e pra mim, não tenho mais o que falar... é uma porcaria... não tem tumbas pra explorar e um chefe que você tem que racionar munição com o personagem secundário pois irá lutar contra um BOSS sem nenhum item...

 

 Ridículo! 


Se você pensa em comprar pra sua coleção, eu até recomendo - mas ele foi o PIOR TOMB RAIDER QUE já joguei e foi o que levei mais tempo... (pra fazer uma análise). Os gráficos são melhores que os primeiros da franquia, mas muita coisa é travada e o fato de apresentar uma história de investigação no começo, pode ser interessante - mas é muito aquém do que um fã da Lara espera encontrar em Tomb Raider. A versão que eu joguei para fazer essa resenha é da Gog.


Se tiver coragem, compre o game pelo link abaixo: (R$13,00)

 

https://www.gog.com/game/tomb_raider_the_angel_of_darkness

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Nós

Rei dos Games


Rei dos Games é um site destinado a falar tudo sobre videogames (jogos antigos), RPGs de mesa e board games. Além disso, trazemos tutoriais, dicas, cheats de quem realmente experimentou essas mídias, trazendo também boas recomendações.


Rei dos Games é o único blog dedicado a três tipos de jogos diferentes (eletrônicos, de tabuleiro e RPGs). Se você quer conhecer bons jogos para brincar, este é o lugar certo.


Postamos recentemente

recentposts

Aleatório

randomposts