> Mortal Kombat 9 - o jogo que salvou a franquia - Rei dos Games!

sexta-feira, 19 de junho de 2020

Mortal Kombat 9 - o jogo que salvou a franquia


Minha análise é baseada na versão da Steam do jogo, conhecido como Komplete Edition e que por decisão da própria produtora, não está mais sendo comercializado. Mas acredito que você deva achar alguma versão pirata por aí se ainda não conheceu esse incrível jogo ou apelar para algum produto original (usado) no mercado livre.

Como todos sabem (ou não!) sou fã da série desde o MK 1, quando era pequeno demais e ainda estava aprendendo a ler (sim, Sub-Zero foi uma das primeiras palavras que li na vida, se bem que não é uma "palavra", e sim um nome...) E posso lhe dizer que tenho até uma paixão por todo enredo e todo o universo criado por Ed Boon e John Tobias (menos o MK11!)


Já cheguei a dar uma análise das versões clássicas de MK 1, 2 e 3 que são comercializadas na Gog, então, se tem o interesse, clique aqui para ser direcionado a postagem.

Mortal Kombat 9 veio para desfazer várias das cagadas cometidas pelos criadores da sangrenta franquia nos últimos anos. Não vou entrar em detalhes quais foram porque acredito que todos já conhecem; Por mais que o 4 não tenha sido tão "perfeito" como esperado, ele tinha uma história bem interessante. O que só decaiu a cada jogo lançado, uma vez que as novas tramas não eram tão interessantes como as dos jogos clássicos. Por exemplo, ter dupla Quan Chi e Shang Tsung como chefes e a morte de Liu Kang.

Acho os dois feiticeiros incríveis, mas colocá-los como chefe de um jogo onde temos personagens bizarros e a morte do protagonista da série, sem falar num gameplay totalmente diferente do que os jogadores estão acostumados, levaram um dos maiores jogos de luta a se tornar apenas um jogo luta qualquer.

Por mais que eu jogasse os games da era ps2, nenhum deles tinha o mesmo clima dos clássicos. Acho que até mesmo o 4 era mais interessante em termos de gameplay. Dentre os três jogos lançados, acho que o Armagedon era o melhor por ter tudo o que é tipo de lutador, mas era broxante no fato de que os personagens não tinham fatalidades próprias (além da bizarrice de transformar Motaro em bípede).


Mas não vim falar de MK clássico ou criticar seus erros passados. Vim falar da versão que sonhei em ter um dia, cujo não tinha console e nem pc forte o suficiente para rodar aquilo. Mais de uma década depois, pude comprar o jogo na Steam dias antes do mesmo ser retirado da Steam, e com muita alegria, faço essa postagem. Só que não devo falar muito da jogabilidade, mas sim de alguns pontos da história mesmo e coisas que me chamaram a atenção.

Graficamente falando, o jogo é lindo. Para um tiozão que nem eu cujo jogou os MKs antigos e ver tais cenários numa roupagem moderna, não há satisfação maior. Outra coisa a elogiar, é que a "lacração" ainda não existia entre a produção, então, temos as mulheres vestidas da forma mais sensual possível (o que foi sempre comum na série). Como jogos de luta e todo o mercado de jogos sempre visou o masculino, colocar uma mulher de qualquer jeito - não atrairia atenção de ninguém (pelo menos, nos anos 90!). Por isso sempre foi bem-vindo os trajes dessas lutadoras, que perderam toda a graça nos jogos mais modernos fazendo parecer mulheres de igrejas evangélicas.

Posso dizer que é um MK raiz.

Trazendo todas as suas raízes numa roupagem moderna. Com um estilo de jogabilidade diferente (o que achei muita mancada, mas no Ps2 os golpes já eram trocados mesmo...) O modo história foi bem envolvente e acredito que tenha sido o melhor do trio 9/10/11. Não porque a história dos mais recentes tenha ficado ruim (tirando a do 11, cujo odiei aquele Sub-Zero e teve aquele final bizarro). Mas os eventos dos jogos tratados como um filme de duas horas e meia.


Alguns desafios, achei demais... como por exemplo, Cyber Sub-Zero ter que enfrentar a dupla Goro e Kintaro sozinho. Outros, achei simplesmente incoerente. Como por exemplo, por que raios a Sonya meteria a porrada em Rayden e em Sub-Zero (que tinha acabado de realizar aquelas missões no MK Mythologies Sub-Zero, enfrentando elementais e enfrentando o próprio Shinnok) cujo era um assassino de elite muito mais experiente que uma mulher do exército? O que a Sonya fez de mais importante do que aquilo visto no jogo do ninja azul?

Além disso, Rayden cura algum personagem no início da história (não me lembro quem) e no final, ao encher de raios Liu Kang, ficar observando e pedindo desculpas enquanto o mesmo agoniza? Ele poderia ter curado como mostrou no começo, mas parece que se esqueceu. Outra coisa que eu não entendi,  é que os próprios deuses anciões disseram pro Rayden que a invasão de Shao Khan era legal, mas depois ele (Rayden) descobriu que tinha de permitir o imperador dominar o plano terreno para ele ser punido.

Ignorando a incoerência, achei essa parte o máximo - pois Rayden tinha tantas visões do Rayden do futuro que como nada vinha acontecendo da maneira esperada, Liu Kang começou a vê-lo como louco. Afinal, quem deixaria Shao Khan entrar na Terra de boas?

Sindel era outra que entrou só para encher todo mundo de porrada... meu Deus. A veia apareceu e deu cacete em todo mundo! (Quando vi isso no youtube, não deu pra acreditar). Tirando o fato de que todo mundo que a gente gosta, vai pro saco! (Inclusive Liu Kang, olha só que novidade) É fato que alguns são revividos (como o próprio Sub Zero, que virou robô no lugar de Smoke e no jogo seguinte voltou a ser humano sem explicação alguma - cujo você só saberia de lesse as revistas em quadrinhos do jogo).


Dentre as partes que eu gostei, foi quando Sub-Zero (versão robô) enfrentou Noob (que na verdade, era o primeiro Sub-Zero morto pro Scorpion e que renasceu como aquele ninja negro). A frase de que ambos são algo distante do que eram, achei massa demais! Mas vários eventos foram apenas um motivo para você ter luta contra algum personagem, por isso eu entendo certas aberrações. O pior é quando você deverá lutar contra dois personagens ao mesmo tempo - principalmente quando você não entende os golpes ou sequências inseridas no jogo. Mas seu fundamento é simples e qualquer um pode jogar sem querer fazer combo, talvez, o segredo do sucesso da franquia.

Posso considerar o Mortal Kombat 9 como o jogo raiz de uma geração moderna. Porque tudo aquilo que eu amava nos jogos clássicos, temos. Até o Test of Might (do Mortal Kombat 1) foi inserido. Além dos Fatalities de estágio e Babalites; Sobre o Toasty, mesmo sabendo que existe - não apareceu em nenhum momento. Acredito que seja apenas nos contras contra outro jogador e como joguei pouco, não posso afirmar que vi isso - mas sei que tem no jogo. Além disso, a versão Komplete possui todos os personagens já destravados, como Rain, Skarlet e Fred Krueger. Além de ter todos os personagens que mais gostamos da série: Jade, Kitana, Jonny Cage, Kabal, Nightwolf, etc.


Temos Kintaro e Goro no modo história, mas não sei se há algum cheat para destravá-los (o mesmo a se dizer sobre Shao Khan). No jogo também temos as disputas por duplas, que diferente do Ultimate Mortal Kombat 3, não é necessário um personagem morrer para a vinda de outro. Você pode trocá-lo ou realizar um combo especial para colocar seu parceiro na arena já descendo a porrada! Com certeza, um dos melhores e mais equilibrados jogos de luta que joguei e infelizmente, foi retirado da Steam e hoje não pode ser mais comercializada (a não ser por versões usadas).

Por causa disso, tenho certeza que não deve ter mais a função online. Pois li num site que os servidores de ps3 e xbox 360 teriam sido fechados. Talvez pela Steam e com um amigo, dê para jogar, mas não conheço ninguém que tenha o game para ver se funciona!

Assim como nos jogos de ps2, existe a Kripta. Onde você destrava as coisas com créditos que você vai ganhando ao jogar ou realizar tarefas extras como a torre dos desafios e lá, você destrava novas roupas, artes, músicas e até destrava fatalities. Não chega a ser como na geração dos 128 bits, onde existiam moedas de várias cores - aqui todas são douradas.


O jogo também possui várias missões secundárias na torre dos desafios, que podem ser um teste de percepção (onde o lutador coloca uma peça num copo e pede ao jogador para que identifique a mesma aos embaralha-lo dentre vários copos). Ou fazer zumbis te atacarem, obrigando ao jogador atirar projéteis (magias do personagem) para evitar ser vítima.

Um baita jogão, que tem tudo aquilo que eu gosto e ainda está em português. Uma pena que não é mais vendido, mas pelo menos, posso comemorar de ter comprado a tempo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Nós

Rei dos Games


Rei dos Games é um site destinado a falar tudo sobre videogames (jogos antigos), RPGs de mesa e board games. Além disso, trazemos tutoriais, dicas, cheats de quem realmente experimentou essas mídias, trazendo também boas recomendações.


Rei dos Games é o único blog dedicado a três tipos de jogos diferentes (eletrônicos, de tabuleiro e RPGs). Se você quer conhecer bons jogos para brincar, este é o lugar certo.


Postamos recentemente

recentposts

Aleatório

randomposts