> Half Life 2: Nova Ordem Mundial e guerra civil - Rei dos Games!

sexta-feira, 19 de junho de 2020

Half Life 2: Nova Ordem Mundial e guerra civil


Half Life já tinha me surpreendido, mas a pergunta que fiquei na mente é que se este jogo realmente seria tão bom quanto o primeiro. Feito em uma engine nova (a Source), o jogo foi lançado em 2004 e foi um tremendo sucesso. O mais incrível é que apesar de ser a continuação da história de Gordon Freeman, ele tem um tema totalmente diferente. 


No primeiro game, nosso personagem teve que sobreviver a alienígenas e muitos desafios (incluindo o exército americano) até se tornar um empregado de G-man. Só que, em vez de enfrentar criaturas de Xen, nosso querido herói se encontra numa cidade dominada por um tirano. Vamos entender que os conceitos de Nova Ordem Mundial são aplicados a esta sociedade, mas nosso físico favorito estava prestes a conhecer a "resistência" - pessoas que estavam contra o governo local, e que seriam caçadas conforme acontecem nesse tipo de história.


O jogo possui um clima muito forte de guerra civil, levando mais uma joia a franquia e mantendo o mesmo padrão de qualidade do primeiro apesar do mesmo ser uma missão completamente diferente. Até mesmo algumas criaturas que o personagem matou no primeiro jogo, aparecem e ainda falam na linguagem humana. Também haverá uma situação em que um robô mostrado no início de Half Life 1, aparece (já que no primeiro jogo, ele só aparece quando você está no trem).

A parte legal dessa história, é que temos outros personagens e há opção de colocar legendas para se entender tudo o que eles estão falando. Caso você não saiba como fazer, leia nossa matéria ensinando como traduzir Half Life 2.

Não vou entrar em detalhes sobre a história ou quem são os vilões aqui. Pois assim estragaria sua diversão! Mas saiba de antemão que neste jogo, há menos armas que o anterior. Porém, temos um sistema de movimentação e jogabilidade melhorados. Também dificilmente, você ficará sem munição!


O mais legal da ambientação deste sequência, é que temos muitas adições. A começar por veículos, onde nosso querido Gordon vai pilotar um barco e um "carro". Vai derrubar naves de combate e enfrentar muito inimigos humanos (ou humanóides, se você os considerar alienígenas). Enquanto em HL 1 você matava monstros e quase não tinha humanos, aqui, você mata humanos e quase não encontra monstros.

Não me lembro de ter encontrado alguma criatura enorme que não fosse uma máquina. 

Além disso, houve uma parte em que após xiar muito com o jogo, graças a alguns monstros do deserto (que eram infinitos e não havia outra forma a não ser fugir), vai haver uma parte onde Gordon aprenderá a controla-los e portanto desses insetos poderosos, invadir uma das bases do governo. É claro que não dava pra ele fazer isso sozinho se não tivesse esse enxame de amigos, mas não foi uma tarefa muito fácil. Vou te dizer que me senti um treinador de pokémons, mas achei muito legal essa adição a história...


Mas nem tudo são flores, pois tem certas coisas que eu achei apelão demais. Como um tal de headcrab "negro", que é um monstro clássico da franquia, mas que este em um ataque, o deixava com 1% não importando a armadura, pois ele te colocava algum vírus e tinha que esperar seu traje curá-lo. Só que o desgraçado, ou qualquer outro, poderia te matar no próximo golpe e como é pequeno, se aproveitava de locais escuros... vamos dizer que passei muito sufoco.

Ele ainda vinha de um zumbi que vivia arremessando essas aberrações.

Sobre as armas, apesar de um número reduzido em comparação ao primeiro jogo - cumprem bem o seu papel. A grande benção é que não temos glock como arma inicial, mas sim outra pistola que ajuda pra caramba!

Como o jogo trata um período de ditadura, por ser parte da resistência, haverá um momento de guerra civil e você terá que comandar companheiros de forma parecida dos jogos antigos de Rainbow Six. O lado bom é que se há um médico, ele pode lhe curar a todo momento. Só que eles são limitados e caso sua equipe morra, você poderá encontrar outros mais a frente. Mas, mesmo com essa ajuda - haverão momentos no game em que você deverá fazer certas coisas arriscadas ou optar em fugir ou passar do local tomando tiro em vez de ficar lá e lutar como homem.


Dentre as armas, houve uma que será essencial para a sua jornada. Que é uma arma de gravidade, cujo faz você segurar as coisas e que diferente de sua cópia na expansão de Doom 3, possui um sistema muito melhor. Por exemplo, no Doom 3, a arma teria que ficar segurando o projétil para disparar de volta. Já em Half Life, basta apenas apertar o botão direito uma vez para agarrar o que você quer e não é preciso mais apertar mais nada - o negócio ficará grudado até você decidir arremessá-lo contra alguém (apertando o botão esquerdo) ou deixando no chão (apertando o botão direito).

E vem mais uma crítica ao Doom 3. (Cujo já fiz análise no blog).

Half Life 2 foi lançado no mesmo ano, mas temos lanterna na arma. Além de que todos os monstros mortos, continuam no mapa. Incluindo nossos aliados mortos!


Como é de costuma da franquia, alguns pontos deverão ter certos puzzle resolvidos e todos as saídas levam a um caminho. Achei bem satisfatório que alguns locais tenham referência a alguma fase do primeiro jogo em questão de design.

Half Life 2 superou o primeiro? Com certeza. Em nenhum momento, ele ficou abaixo. Mesmo que tenha certos pontos que tirou minha paciência, mas o primeiro também era de igual forma. Só saiba que haverão alguns pontos onde os produtores vão lhe dar uma trolagem. Mas não se preocupe, a cada ponto novo, existe um salvamento automático. (O que também acontece se você clicar f6), o que é bem-vindo, pois houve ocasiões que tive que dar load devido a algum erro no andamento do jogo, como por exemplo, numa parte em que um aliado meu me disse para entrar no portal com ele e nem dei bola - o sujeito entrou e foi teleportado e eu fiquei. Assim, Gordon Freeman ficou preso na fase e tive que dar load... talvez seja por isso, que eles tiveram esse cuidado.


Cuidado era tanto, que ao sair do jogo, ele pergunta se você quer salvar seu jogo!

Mas é claro que mesmo sendo feito numa engine melhor e tenha uma história tão boa quanto a primeira, ele não invalida o anterior. Apenas se estende e complementa o primeiro game da série.

Compre na Steam agora por 21 reais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sobre Nós

Rei dos Games


Rei dos Games é um site destinado a falar tudo sobre videogames (jogos antigos), RPGs de mesa e board games. Além disso, trazemos tutoriais, dicas, cheats de quem realmente experimentou essas mídias, trazendo também boas recomendações.


Rei dos Games é o único blog dedicado a três tipos de jogos diferentes (eletrônicos, de tabuleiro e RPGs). Se você quer conhecer bons jogos para brincar, este é o lugar certo.


Postamos recentemente

recentposts

Aleatório

randomposts